SEXO NO BANCO DA ESCOLA

terça-feira, 7 de abril de 2009

Nossa sociedade é extremamente sexual. Somos a segunda população do mundo que mais faz sexo, perdendo apenas para os Gregos. Novelas, filmes, programas de TV e músicas possuem alta dosagem de sexo.

Hoje no almoço, debatendo com minha mãe sobre matéria da Revista Época dessa semana, que em seu conteúdo expõe o quanto os jovens de hoje estão praticando sexos cada vez mais jovens, e cita o caso de uma cidade do interior em que um vídeo de putaria correu a net, entre um menino de 14 e uma menina de 11 anos. Nossa opinião foi unânime: sexo deve SIM fazer parte do quadro de matérias escolares, para melhor conscientização dos jovens.

Minha mãe é professora de português (vê-se que em casa de ferreiro, o espeto – UI! – é de pau!), e em uma das ultimas escolas em que lecionou, cansou de chegar em casa dizendo que viu uma “galerinha” seguindo determinada “guria” a fim de faze-la uma geral. De 2003 a 2005 trabalhei em uma escola de 1ª a 4ª série. Não foi uma nem duas vezes, foram várias as vezes que flagrei meninada “se pegando escondido”, dando uns pegas com direito a “mão naquilo e aquilo a mão”.

Há que afirme que a sexologia estimularia os jovens a fazer sexo. Eu discordo! Faz-se necessário que tal matéria seja incluída como matéria obrigatória. Hoje, a escola não é mais um “complemento” da educação de um indivíduo. A responsabilidade da educação foi “terceirizada” por grande parte dos pais. Foram inúmeras às vezes em que na escola onde trabalhei com inspetor de aluno, que a diretora chamava o responsável pelo aluno para conversar, discutir sobre uma conduta imprópria do filho na escola, e dava com os burros n’água, pois não iam.

A responsabilidade dos pais mudou muito, estão cada vez mais relapsos. Credito sempre uma porcentagem de culpa aos pais nos casos de pedofilia. Sim, pois muitos não sabem com que os filhos andam. Minha mãe sempre soube onde estava, e quando “desvia caminho”, levava uma bela de uma surra. Com o tempo, percebi o quanto à mesma estava certa, afinal, “quem vê cara não vê coração”, não está escrito na testa da pessoa se é uma má ou boa pessoa.

Essa necessidade capitalista de “vencer na vida” fez com que muitos dos pais sejam “descompromissados, além do quê, nossa sociedade é hipócrita, “aconselhamos” nossos filhos a dá uns pegas na filha do vizinho, mas protegemos ao máximo nossas filhas do filho do vizinho. Exemplo clássico disso, é que segundo a reportagem da revista Época, a família da menina de 11 anos foi coagida a sair da cidade.

O sexo é algo altamente palpável e sem controle hoje em dia. Temos de conversar com nossas crianças e jovens sobre o assunto, orientando-os a não precipitar este momento. Perdi meu cabaço com minha prima quando tinha 13 anos, mas só foi aos 17 que realmente aprendi os caminhos do sexo.

Longe de pregar a castidade ou ter ilusões sobre a dita “primeira vez”, mas é fato que o sexo em tenra idade pode ser “traumático e frustrante”, por mais que os corpos já estejam desenvolvidos, a cabeça ainda não está! Por isso, é necessária toda a orientação, e a escola pode ter um papel determinante nessa história, abrindo todas as portas para a maturidade sexual, evitando questões bem mais graves que um vídeo caseiro pornô, como a AIDS e a gravidez indesejada.

Comments

19 Responses to “SEXO NO BANCO DA ESCOLA”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

exoticlic.com disse...

acho que o assunto deveria ser mais abordado mesmo mas vai tbm da cabeça de cada um né...

7 de abril de 2009 21:33
. fina flor . disse...

ficou ótima sua casa nova, querido!

sorte por aqui ;o)

acho o máximo que você sempre conta que conversou algo com sua mãe, sabia?

é tão difícil hoje em dia manter um diálogo com os pais

beijocas

MM.

7 de abril de 2009 22:10
Sonia Pallone disse...

Daniel, beleza de post. É isso aí, temos mais é que falar...falar...e falar...até que entre nas cabeças pensantes e competentes o que se pode fazer a respeito...É triste e lamentável imaginar que meus netos logo mais estarão fazendo parte deste ciclo horrendo que acontece atualmente. Escola é para aprender com seriedad e sexo é pra viver com prazer mas também com responsabilidade. E o mais importante...NA HORA CERTA !!! Bjs meu lindo, obrigada pelo carinho no Solidão.

8 de abril de 2009 05:28
Neto disse...

Não é só na escola que deve haver essas orientações sobre sexo, em casa também. è dever dos pais orientar os filhos. A escola já tem muitas deficiencias e os proprios professores vivem perdido com a demanda e a pressão.

Tudo tem que ser somado para um engajamento de todas as partes: família, escola, sociedade.

Tenho 2 filhos e NUNCA me escondi de qualquer assunto com eles. Falo de tudo e, falo sempre a verdade. É importante que eles sintam essa transparência nos pais, para que possam tomar suas proprias decisões. É óbvio que nem sempre temos tempo suficiente para eles (devido as tarefas do dia a dia), mas quando o assunto diz respeito 'a educação dos filhos' temos que arranjar esse tempo.

Um grande abraço!

8 de abril de 2009 05:48
Philip Rangel disse...

Com certeza meu amigo...
o sexo esta começando mais cedo..e isso em certa forma preocupa o Brasil...pois muitos nao tem condiçoes pra sustentar...fazem pela brincadeira e pelo prazer...depois é pior o que vem pela frente...

abraçao

8 de abril de 2009 17:35
Casa de Colméia disse...

Nao te contesto,nao...Concordo!!Acho que seria uma bela forma de banir travas,preconceitos, inseguranças e a aprender a aceitar melhor a diferenças.

8 de abril de 2009 19:07
Atila disse...

Daniel meu caro amigo, assim como você me choca ver a depravação sendo assim tão as claras, com relação a idade, sou suspeito para falar começei cedo a aprontar as minhas, talvéz por ter aprontado desde tão cedo, resolvi casar logo também. Eu fui convidado e me retirar da escola em um epsódio na segunda série do primario por ser "apressadinho" nesta questão.
Não houve nescessáriamente influencia familiar, para falar a verdade mina familia (tirando alguns individuos) são sexualmente reprimidos (eu só fui entender isso depois de anos) enfim, na midia não havia também, grandes influencias, tire por base que o episódio ocorreu em 92 e o sexo não era matéria tão explicita quanto é hoje, então o que teria motivado este ser que te escreve este recado a cometer o ato que cometi? (sem muitos detalhes, te falo por msn. te add hoje ainda)
Enfim, a raiz deste probleminha só fui encontrar depois de muito acompanhamento psicológico, o qual até hoje faço e acho nescessário.
Mas sobre ensinar na escola, sim! acho que deve ser uma matéria oficial sendo que estou de acordo com o que propõe. Acho que inclusive deveria ter aulas de cidadania e sobre a constituição brasileira, claro que adaptado a realidade e idade dos alunos.
Informação nunca é demais, principalmente algo que edifique o ser humano. E como diz a Sônia logo nossos filhos e netos estarão aí vivenciando esta realidade que estamos presenciando em nosso Brasil e dependendo das atitudes e conversas que teremos com eles pode ser até pior.
Eu tenho uma filha pequena a qual não deixo nem por reza brava escutar funk, não acho botinho ela dançar essas musicas, prefiro que ela escute, outros estilos musicais, tais como jazz, blues, rock, MPB, folk, musicas tradicionais (india, japão,árabe). Porque acredito muito na influencia psicológica que as musicas exercem, agora o que ela fará daqui a uns anos, vai depender muito das conversas que terei com ela no daqui pra frente e espero sinceramente que consiga evitar que ela seja precoce como eu fui, mas se for terei que entender e saber levar a situação.
Obrigado pelo post polêmico!
Um abraço e boa páscoa.

9 de abril de 2009 06:56
Kally disse...

Olá!!! que joia que ficou aqui ein? desculpa a demora pra visitar o endereço novo.. é a correria! o outro, não irá atualizar mais?... ja adicionei o link para cá ok? :)

concordo contigo que sexo deveria ser abordado nas escolas, sim. Não só com adolescentes mas com os mais novos tambem.. afinal, a criançada hoje em dia ja sabe de todas as coisas desde bemmmm cedo ja... e se a escola é pra educar, cabe também auxiliar nesse aspecto... sei que é responsabilidade dos pais, mas, a escola tem a sua grande influência na cultura, desenvolvimento, aprendizagem e história pregressa de todo indivíduo... pelo convivio com professores e outros colegas é importante ter uma discussão e exposição cabeça sobre o tema... e a gente vê mesmo muita escola que se fecha para esses ideias mas cujas crianças ja perderam a inocência ali dentro mesmo...

beijocas e feliz páscoa!!!

9 de abril de 2009 14:10

Daniel,

Gostei muito de seu novo espaço. Parabéns! :D

Beijos

9 de abril de 2009 16:24
Naty disse...

Sua mãe deve ser gente boa, pq eu tb sou professora de português.
xD
Ainda não vi nada do tipo ainda, pois só tenho um ano trabalhando nesta área, mas já ouvi falar de muitos assuntos a este respeito. E a unica maneira de prevenir inconvenientes é falando mais abertamente sobre o assunto. Inclusive, eu acredito q deveria começar a explicar sobre sexualidade a partir do momento em que a criança pergunta "De onde eu venho?". Repolhos e cegonhas não são boas respostas em tempos como os de hoje, em q se vc não ensina para o seu filho ele aprenderá na rua, na internet e ainda correr o risco de ser vítima de pedofilia.

Bjos!
^^

9 de abril de 2009 17:08
Marcela' disse...

Sabe, eu leio textos e reportagens que envolvem educação e cultura e dou graças a Deus que minha mãe soube me por no lugar. Ela nunca me bateu, nem ela nem meu pai, mas sempre conversou sobre sexo e drogas comigo e sempre foi compreensivapra qualquer dúvida, qualquer conversa que eu ou meus irmãos quisessem ter. Disso não posso nunca reclamar! Só lamento mesmo essas crianças que crescem cada vez mais rápido, mudam cada vez mais rápido..
Mais uma vez, concordo com cada palavra do seu texto, Daniel!
Baci.

9 de abril de 2009 17:48
Solange Maia disse...

Gostei Daniel, aliás, como sempre.

Informação e responsabilidade ajudam a dlícia que vem a seguir...
Falta diálogo... falta diálogo....

Tenha uma Páscoa linda...

Um beijo e um sorriso,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

9 de abril de 2009 18:45
☆ Sandra C. disse...

olha, me perdoe caro autor, mas seu post é altamente contraditório.

10 de abril de 2009 10:03
lugirão disse...

Daniel, excelente teu post, também acho que sexo se aprende na escola, pois na prática, a maioria dos pais não tem coragem de falar abertamente sobre essas questões, na minha casa mesmo , eu que eduquei meus 3 filhos (homens) , o pai não tinha coragem de falar com eles sobre isso, então eles aprenderam desde cedo que as "dúvidas" quem tirava era a mamãe, e nunca os deixei sem resposta, nem tinha assunto proibido... Também sempre fiquei de olho com quem e o que andavam fazendo, só agora que já são adultos é que estou olhando um pouquinho menos...só um pouquinho... que eles não saibam, rs

Beijos

10 de abril de 2009 17:23
Ynot Nosirrah disse...

Muito boa colocação. E acho que seu blog é o blog. Parabens.
Feliz Páscoa.

10 de abril de 2009 20:34
Tássia Jaeger disse...

Assunto complicado esse. Mas acho que não é a escola que vai influenciar nem positiva nem negativamente. O problema todo são as influências que sofremos quando adolescentes nos ambientes que frequentamos. Amigos, primos, colegas...E não vamos ser hipócritas a ponto de dizer que os amigos não influenciam. É que daí depende da cabeça de cada um se deixar influenciar ou não. E essa cabeça vem do berço, da criação que recebeu em casa...

12 de abril de 2009 12:44
Jairo Souza disse...

Este é um complicado assunto Daniel! Pois afinal quem está ensinando nossos filhos, e o que estão ensinando?

matérias exatas são tranquilas por se tem alguma coisa q a maioria concorda é a ciência. Agora se tem uma coisa pela qual a maior parte dos pais e professores discordam são as matérias de humanas e educacionais. Afinal opiniões de como passar as coisas sempre divergem. Não estou dizendo que as crianças não devem saber, mas como saber ae já é outra história.

Assim como existem pais desleixados que não educam seus filhos (os quais na minha opinião não devem nem se meter em discussões coo estas), existem tbm professores que ensinam as coisas da forma mais promíscua possível!

Enfim é um tema a ser debatido! Mas acredito que a solução é que escola é q nem igreja, existem pra todos os gostos! Afinal s não gostou da forma como as coisas são ensinadas em uma vá para a outra! É claro, sei que tem mt gnt q não tem opição, então lute para que seu filho seja educado da forma como vc quer! Agora de uma coisa eu discordo completamente e que inclusive é feito nos E.U.A., nossos filhos não são do estado, são nossos, e por isso não concordo que o estado deva educá-los mas sim nós!

Ótimo tema levantado Daniel, rende uma boa discussão! E como eu já tinha te falado, seu novo espaço está mais direto e objetivo, do tipo, vamos discutir? Vamos! Isso é necessário debater! Parabens por isso! Abraços!

12 de abril de 2009 14:08
Mary West disse...

Não discordo também. Mas minha nossa. Cada dia mais jovens.

14 de abril de 2009 05:42
Tetê disse...

olá, trabalho com orientação sexual numa escola de 2º grau e minha nossa,
é mto difícil pontuar conhecimento numa área que os jovens já se julgam sabedores de tudo,
ainda mais numa geração com esta
!belo tema de discussão
.
forte abç
.

20 de abril de 2009 20:20