COMPREENDER O OUTRO AMOROSAMENTE

segunda-feira, 29 de junho de 2009

De todos os medos que tenho a solidão é o maior de todos. Desde sempre, o simples pensamento de morrer só me atemoriza. Certo que sou meio carente... (ta bom, muito carente!) Mas só agora percebi algumas coisas que me levavam a isso.

Primeiro, é o fato de idealizar uma mulher que caísse certinho nos meus sonhos. E nesse aspecto, meu relacionamento com a Cintia vem me ensinando várias coisas. A principal é que ninguém é da forma como idealizamos. Por sermos diferentes, e por estarmos fazendo concessões mil para que o namoro dê certo, percebi que tenho que respeitar a forma de pensar e de agir dela.

Antes, na minha ignorância sentimental não me dava conta de um aspecto primordial: o outro (neste caso, a outra). Entender que aquela pessoa a sua frente é um ser humano, com erros e acertos, com crenças, atitudes, formas de pensamentos diferentes dos meus.

Acredito que esse seja um erro em comum ultimamente. Venho observando relacionamentos de amigos meus e em especial, de certo Picolezeiro. O mesmo reclama de sua vida amorosa mais não percebe o quanto o seu amor é egoísta. Querendo moldar suas namoradas a seu gosto, acaba tolhendo a individualidade delas e o resultado é uma gangorra emocional sem tamanho.

Outro aspecto que me chama atenção são as influências dos padrões. Homens e mulheres querendo que seus amores estejam de acordo com aquilo que manda a etiqueta dos padrões: seja lindo (a), bem de vida, bem relacionado, bom (a) de cama (a) e assim vai. O resultado desse mar de exigências e um mar de solitários, que tentam através do sexo compensar sua solidão. Todavia, o corpo saciasse, mas a alma...

Penso que amar é antes de tudo compreender!
Compreender que o outro é outro sujeito, que também possui suas necessidades e imperfeições. Querer o real, o palpável, sem estereótipos ou ilusões de qualquer ordem é a chave para um grande amor.

Comments

12 Responses to “COMPREENDER O OUTRO AMOROSAMENTE”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

Jairo Souza disse...

Mais pura verdade Dani, se vc quer companhia tem q estar disposto a aceitar o outro como ele é! E ai entram várias concessões! Abçs!

30 de junho de 2009 12:53
Mayara Borges disse...

Falou tudo!

Acredita que tô passando uma situação "grega" pq meu ex gostaria q eu fosse diferente? Pior! Queria q nesses 5 meses separados eu naum me relacionasse com ninguem! Chegou me chamar de vagabunda soh pq ficou com o "orgulho masculino" dele ferido... O cúmulo da grosseria! E ainda teve a cara de pau de dizer q me ama muito... Que porra de amor eh esse heim Daniel? Nunca vi pessoa mais egoísta...

Mas enfim, existem relacionamentos e relacionamentos...

Deus com certeza vai dar algo bem melhor!

Mil beijos. ;)

30 de junho de 2009 14:22
Neto disse...

Obviamente, aprendemos muito com os relacionamentos. É de fato e de longe, a melhor escola.

No entanto, faz-se necesário encontrar alguem que compartilhe dos nossos planos, dos nossos sonhos, que aja concordância. Se for diferente disso, é pau na certa.

Abraços

30 de junho de 2009 15:02

Daniel,

Para comentar seu post, vou extrapolar um tiquinho falando sobre relacionamentos outros que não os amorosos.

Você é uma pessoa totalmente diferente do que sou. Nossas idéias em muitos momentos não batem e venho aqui e te contesto.

Sinto-me neste direito por conta do nome de seu blog e procuro fazê-lo da melhor forma possível.

Você poderia simplesmente responder: não gostou? Vai te catar. Ou eu poderia não vir mais aqui.

Mas nem você diz para ir me catar e nem paro de vir aqui. Por quê?

Porque posso não concordar com suas idéias, mas admiro a paixão com que as expõe e defende, a fé que tem em poder mudar o mundo e a disposição para lutar e tentar fazer isto.

Sinceramente, Daniel, isto é muito mais do que (não) vejo pessoas de tantos blogs fazer.

Então, só queria deixar isto registrado e aproveitar para ilustrar seu post:

Acho que a compreensão das diferenças do outro é importante no amor lógico, mas também entre todos nossos relacionamentos, incluindo o virtual.

Beijos

(Ps.: supondo então que 50% + 1 votem Nulo e supondo que nestas eleições estivessem a grande maioria de nossos políticos aptos e disponíveis aos cargos elegíveis e não podendo por lei candidatarem novamente, o que ocorre?

a) Fazem uma nova eleição com candidatos ainda piores?

b) Não fazem uma nova eleição e sim uma nova constituição (o que deve demorar uns 12 meses). Enquanto isto? Quem nos governa?)

30 de junho de 2009 16:03
Pan disse...

Que coisa, hein?

Verdades, verdades...
Tenho umas concepções e umas não concessões(???) que me fazem manter-me solitária a muito tempo. Sniff??? Às vezes sim. Mas em não magoar eu me sinto bem.

Bjokas!

30 de junho de 2009 18:04
Daniel disse...

NEIVA: Já ouvi falar de governo provisório? Disolução do congresso? Reforma eleitoral? Justiça eleitoral? Tudo se resume a uma palavra chamada reforma estruturante. Bjus.

30 de junho de 2009 19:47
Kally disse...

Assim em baixo, Daniel. Meus relacionamentos nunca deram certo por egoísmo meu. A compreensão e o respeito formam a base de um namoro sincero, duradouro - e a recíproca é importante. Assim a solidão passa longe.. e o medo dela também!

:)

boa semana! :*

1 de julho de 2009 06:07
Kally disse...

*assino - erro de digitação.

1 de julho de 2009 06:07
Luciana disse...

E não é que também tenho esse medo de morrer só!

Nossa, concordo plenamente com cada palavra sua nesse post. Relacionamento em que não há respeito às individualidades não dá certo... um dia fica cansativo.

Muito bom o post! ^^
Beijo!

2 de julho de 2009 12:46
Neto disse...

Uau! Se eu já gostava dessa mulher, depois do que ela disse aí me sinto ainda mais apaixonado por ela

Beijão, Neiva!:)

Você vai deixar né, Daniel?

2 de julho de 2009 12:52

Daniel, dá licença para responder?

Óia que assim apaixono também. Beijão, Neto. :DD

2 de julho de 2009 16:07

Lindo!

Assino em baixo...

3 de julho de 2009 11:49