segunda-feira, 18 de maio de 2009

Um dia, muito tempo antes de muitos deuses terem nascido, despertei de um sono profundo e notei que todas as minhas máscaras tinham sido roubadas – as sete máscaras que eu havia confeccionado e usado em sete vidas – e corri sem máscaras pelas ruas cheias de gente gritando: ladrões, ladrões, maldito ladrões!

Homens e mulheres riram de mim e alguns correram para casa, com medo de mim. E quando cheguei ao mercado, um garoto trepado no telhado de uma casa gritou: É um louco!

Olhei para cima, para vê-lo. O sol beijou pela primeira vez minha face nua, e minha alma inflamou-se de amor pelo sol, e não desejei mais minhas máscaras. E, como num transe gritei: benditos, benditos, benditos os ladrões que roubaram minhas máscaras!

Assim me tornei louco. E encontrei tanto liberdade como segurança em minha loucura: a liberdade da solidão e a segurança de não ser compreendido.


Autor: Khalil Gibran
EXTRA:

E aí, você já votou quantas vezes no Contestação no Top Blog? Continue votando, seu voto é muito importante para mim. Para votar, basta clicar no selo do Top Blog que se encontra na secção Honrarias. Desde já agradeço o seu voto.

Comments

10 Responses to “ ”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

. fina flor . disse...

sim, querido, se desfazer das máscaras é um deleite.

beijos e boa semana

MM.

18 de maio de 2009 21:59

Daniel,

Taí. Amei este seu post.

"a liberdade da solidão e a segurança de não ser compreendido."

Sei bem do que fala o autor. rsrs

Beijos

19 de maio de 2009 15:34
Tássia Jaeger disse...

É...quando as mácaras caem dá prazer pra quem as rouba (derruba) como pra quem se livra delas (por incrível que pareça).

20 de maio de 2009 08:23
Jairo Souza disse...

Simplismente perfeito o texto Daniel! Mais um exemplo de como o mito da caverna realmente funciona!

20 de maio de 2009 15:38
J. Neto disse...

Taí, Daniel!

Um texto profundo e bem reflexivo (e logo para uma noite solitária como essa de quarta, putz!).

Gostei, cara! Mandou bem!

20 de maio de 2009 15:55
Bárbara Stracke disse...

Gosto muito de Gibran. ótimo texto!

bjz

21 de maio de 2009 08:43
Bárbara Stracke disse...

Gosto muito de Gibran. ótimo texto!

bjz

21 de maio de 2009 08:43
Bárbara Stracke disse...

Gosto muito de Gibran. ótimo texto!

bjz

21 de maio de 2009 08:43
lugirão disse...

Eu me despi das minhas máscaras e assumi a minha solidão e loucura.

Já votei várias vezes...

Bom fim de semana.

22 de maio de 2009 14:07
Sonia Pallone disse...

Adoro Khalil Gibran e todos os seus textos. "...não existe embriaguez maior do que alma louca do poeta!.." Bjs meu querido, tenha um bom final de semana.

23 de maio de 2009 12:00