MISÉRIA - Direitos Humanos

domingo, 20 de setembro de 2009

Segue abaixo mais um vídeo do Youtube, que tenta nos chamar atenção para a realidade massacrante do dia-a-dia de gente que não tem nem o que comer. Pessoas abaixo da linha de pobreza, miseráveis que tentam "sobreviver" as custas de pedido de esmola. Gente magérrima, suja, com fome, com sede, morando em viadutos, dividindo "espaço" com gente que mora em bonitas casas, fletes de luxo e afins.
Não podemos mais fingir que não os vimos!
Não podemos mais olhá-los com ar de superioridade!
Não podemos mais fingir ter pena, dizer "olha, que difícil..." e gastarmos todo o nosso dinheiro em futilidades e programas de TV!
É bíblico: "dê de comer a quem tem fome". "Dê de beber a quem tem sede". Vamos começar a fazer alguma coisa por essa gente, que são o resultado desse capitalismo selvagem e a sanha cada vez mais louca que empreguinou as mentes e corações de quase 80% das pessoas, que creem que ser é ter.

Comments

4 Responses to “MISÉRIA - Direitos Humanos”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

Daniel,

Penso que não podemos ser culpados pela fome do mundo. A vida de cada um já é dura demais e se cada um der conta da sua já estaria bem.

Para aqueles que tem muito não, mas para a maioria de nós que mal consegue levar a própria vida, é um peso excessivo carregar ainda a culpa pela fome mundial.

Penso que a fome mundial deve ser resolvida pelo governo e o que nos compete fazer (àqueles que assim o desejarem) é a conscientização para uma mudança no governo.

O que você propõe? Assistencialismo?

Vivermos apenas com o básico do básico, o mínimo do mínimo e doar todo o restante?

Não termos mais diversão alguma e dedicarmos toda e qualquer hora livre em favor do próximo?

O que você faz?

20 de setembro de 2009 14:56
Solange Maia disse...

Daniel,

ah... que dureza essa realidade tão cruel.. quem sabe se cada um fizer um pouquinho...

Beijo

20 de setembro de 2009 15:17
Neto disse...

Sua frase final não poderia ser a frase mais apropriada: que creem que ser é ter

Assim são muitos Daniel, infelizmente...

Muita gente diz que esse povo miserável vive assim porque quer mas é um erro. Ninguem vive assim porque quer. O Brasil ainda é um país dividido entre aqueles que tem (e tiveram) oportunidade e aqueles que não tem. A pobreza de muitos faz a riqueza de alguns e, assim sendo, porque os ricos iriam querer que os pobres deixassem de ser miseráveis?... não, eles não querem e nunca vão querer isso.

Cabe à nós, gente assim como eu e você, entender o sofrimento e a infelicidade dessa gente, mas por outro lado Daniel, penso que ainda não nos cabe libertá-los dessa situação em que ele está.

Vou lhe explicar porque...
O que podemos fazer por essa gente (e eu sempre farei) é apoiar e sugerir campanhas fortes e eficientes do governo para acabar com essa miserabilidade, e, ao menos, tratá-los com mais respeito. Devemos lutar e incentivar campanhas para investir na educação, na moradia digna e no emprego para essa gente.

No entanto, lembro-lhe que nada disso que fizermos será válida SE esses homens NÂO quiserem sair da vida em que estão.

Digo isso porque sei de pessoas que se acomodaram, se acovardaram, e se negaram a trabalhar quando podiam e quando tiveram a oportunidade para melhorar de vida. Preferiram viver das migalhas do governo e da esmola dos outros como um 'vício'.

É óbvio que não são todos, mas gente assim não merece nossa ajuda. E não merece não é porque não devemos ajudá-los, apenas porque eles próprios não se ajudam.

Acredito que há pessoas que está nessa situação não porque procurou é lógico, mas porque não teve verdadeiramente uma oportunidade. À essas pessoas, dentro de minhas possibilidades, estendo minha mão. Mas também aviso que o esforço pessoal de cada um é o que fará com que eles saiam do ralo em que estão para uma vida melhor.

Falo disso com convicção porque, praticamente, eu e toda minha familia, saímos de uma classe inferior para uma classe social melhor hoje, unicamente às custas de nossos esforços e do nosso trabalho.

Já sofri na pele também muita injustiça e covardia que os poderosos e ricos sempre cometem com gente pobre e sem recursos, mas sem a coragem, sem luta e sem manter o caráter eu não estaria nem hoje aqui, escrevendo e comentando esse assunto em teu espaço.

Algumas mudanças na vida depende unicamente de nós.

Abraços, amigo.

Parabéns pelo post. E estarei sempre ao seu lado nessas campanhas de solidariedade com toda certeza. Mesmo sabendo que os "Direitos Humanos" para os pobres e indigentes está só no papel.

20 de setembro de 2009 15:33
Sonia Pallone disse...

Não sei se é o caso, mas acho que cabe aqui. Tenho uma amiga que trabalha numa casa de Assistencia ao Menor de Rua e ela sempre diz que, primeiro é difícil conseguir levá-los, pois a maioria não quer ir, já não conseguem mais conviver com regras e disciplinas, acostumaram-se a pedir e a roubar. Quando lá estão, na primeira oportunidade que têm, fogem e voltam pras ruas. Esses meninos logo mais serão homens adultos cuja maioria continuarão com o mesmo pensamento, então não é só uma questão de estender a mão, é preciso saber dentre os milhões que vivem assim, quem realmente quer uma mão estendida. Medidas paliativas de matar a fome instantânea todos nós fazemos uma hora ou outra. Ajuda? Não. Mas se o próprio governo e os políticos cheios de dinheiro no bolso não fizerem nada, nós, pobres assalariados é que não conseguiremos fazer. É duro, é cruel, mas é a nossa realidade, sonhos e boa vontade não mudarão isto, infelizmente.Beijos.

21 de setembro de 2009 09:57